Últimas
Você está aqui: Capa | Notícias | Futebol | Idel Halfen sobre baixa no preço nos ingressos: “Será que vamos conseguir o resultado?”

Idel Halfen sobre baixa no preço nos ingressos: “Será que vamos conseguir o resultado?”

Idel Halfen - Vice Presidente de Marketing do Fluminense

Idel Halfen, vice-presidente de Marketing do Fluminense, em entrevista a Super Rádio Tupi, explicou  como funciona a determinação dos valores dos ingressos e o que é levado em conta na hora de aumentar ou diminuir o preço dos mesmos.

Confira os principais trechos da entrevista.

800 mil torcedores em jogos como mandante na Libertadores

“O que nós vamos buscar, são recordes, marcas históricas para o Fluminense. O clube pode chegar aos 800 mil torcedores nos jogos de mandante. A gente quer atingir marcas difíceis de se alcançar e esses 800 mil é um marco na história do Fluminense. Vamos tentar chegar nesse número e, quem sabe, chegar a um milhão.”

Escolha nos valores dos ingressos

“É muito difícil você acertar a quantificação. Você leva em consideração uma série de variáveis, como histórico, importância da competição. Contra o Grêmio o valor não se mostrou acertado. Então o Fluminense resolveu fazer essa redução. Agora a gente vai ver se o preço foi o responsável pelo público não ter ido como a nossa expectativa.”

Avaliação do público

“A gente tem que avaliar para saber se o “fator preço” era mesmo o responsável pelo baixo número de público nos jogos. A gente acredita que é uma iniciativa de tentativa e erro. A gente colocou valores entre 40 e 80 e não houve o resultado esperado. Agora a gente reduziu. Será que vamos conseguir o resultado? Não conseguindo se elimina o fator do preço para essa redução de público.”

Fatores que influenciam no valor dos ingressos

“São vários componentes, você tem que levar em consideração a importância da competição. Você pega uma final de Libertadores e uma final do carioca infantil. Tem um escalonamento de valores. A gente analisa o valor dos jogadores, o sucesso na receita de bilheteria ajuda a pagar os grandes salários da equipe. Então não tem como comparar uma equipe que tem o Thiago Neves, o Deco, o Abel, com uma equipe de segunda divisão.”

Sobre Rodrigo Barros

Rodrigo Barros
Profissional de Marketing Digital, SEO e Mídias Sociais, gosta de poesia, música e filmes, é pai da Heloísa e claro, torcedor do Fluminense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


5 − 3 =

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top