Você está aqui: Capa | Opinião | A tragédia anunciada

A tragédia anunciada

fred-caido-fluminense-gremio-libertadores

Quem me conhece ou me acompanha pelas redes sociais, sabe que venho falando há muito tempo sobre o equivocado planejamento do Fluminense para a atual temporada. Não pretendo fazer uma avaliação geral da gestão, e menos ainda falar sobre os planejamentos também equivocados anteriores, ainda que tenham resultado em vitórias ou títulos.

O planejamento para esta temporada começou a falhar quando o árbitro encerrou a partida entre Fluminense e Palmeiras, que garantiu matematicamente o título Brasileiro para o Tricolor. O Fluminense tinha ainda algumas partidas a disputar e uma única vitória poderia garantir não somente o título, como também o recorde da competição. O Fluminense não quis, preferiu ser o melhor somente de 2012, quando poderia ser o melhor de todos os tempos na era dos pontos corridos.

As fotos oficiais divulgadas pelo Clube, em que o volante Valencia aparece dentro do vestiário segurando uma lata de cerveja, na partida contra o Cruzeiro, refletem a falta de comprometimento com o restante do campeonato. Se não tinham mais o interesse em disputar o torneio, porque não deram logo férias antecipadas aos jogadores para poder depois fazer uma pré-temporada mais longa? Infelizmente isso não foi feito.

A pré-temporada, ao que parece, precisa ser estendida no Campeonato Estadual, se der sorte, como ano passado, nos classificamos e quem sabe damos um gás nos clássicos, senão, tudo bem, Estadual não é importante, os jogos são uma espécie de amistosos de luxo, o que eu não concordo, mas é a política. E se atua mal e na maioria das vezes muito mal, tudo bem, faz parte do planejamento sofrer contra os “Quissamãs” da vida. É sempre bom lembrar, que jogadores que atuam em todas as peladas de fim de ano se machucam na pré-temporada ou chegam lesionados como aconteceu com o Thiago Neves.

A política, aliás, foi à manutenção do elenco enquanto todos os outros clubes se reforçaram, a cada ano o Deco vai ficar mais lento e mais suscetível às contusões, porque o tempo é implacável para todos. O Fluminense se limitou a manter o que tinha fazendo contratações que no máximo reforçam o banco de reservas. Jogadores como o Felipe, com a idade que tem, jamais poderiam ser opções no Fluminense, mas foi contratado, e ainda não atuou na Libertadores, está lá, só ganhando salário e mais nada, sem falar em outros jogadores como o Rhayner, que não tem a menor condição de vestir a camisa do Fluminense e foi contratado como “aposta”. O problema é que essas “apostas” tiram a oportunidade de jogadores como Eduardo e Higor, que subiram das divisões de base.

O Fluminense empatou com o Botafogo e com o Vasco da Gama no Estadual (Também com o Friburguense), vale lembrar que o Vasco havia sido surrado pelo Flamengo e perdido para o Bangu, e o empate só aconteceu no fim da partida. Tomamos sufoco de várias equipes de menor porte, mas ao invés de ver o óbvio, tinha sempre à desculpa: “Calma, Estadual serve para experimentar, o que vale mesmo é a Libertadores.”

A Libertadores começou e com ela os problemas se repetiram, Thiago Neves mais uma vez irresponsável não atuou na estreia, o time jogou como sempre, fez um gol e sofreu o sufoco de costume para conseguir a vitória aos trancos e barrancos, ah, mas o que vale são os três pontos. A desculpa está sempre pronta na ponta da língua, mas as atuações sempre de medianas para baixo. A torcida acredita que esse é o normal, o padrão é jogar mal e vencer sempre, mas isso é irreal, basta uma equipe um pouco mais forte para tudo vir à tona. Vale lembrar, que nos confrontos em 2012 contra Atlético-MG e Grêmio, quando foi preciso de fato, o Fluminense não conseguiu vencer.

Infelizmente, na partida de ontem o Fluminense resolveu dar mais uma chance ao azar. Poupou o melhor zagueiro do elenco, liberou o volante titular para resolver problemas particulares e colocou os dois apoiadores titulares no banco. Não tinha como dar certo não é mesmo? Sem falar na semana onde o que mais chamou a atenção foram acidentes de carro de jogador voltando da “balada” e atacante dando beijinho em torcedora no trânsito.

Bastou o Grêmio jogar com um pouco de vontade contra o Fluminense, para que os piores defeitos dos nossos limitados laterais ficassem evidentes, para que se tornasse cada vez mais claro que o nosso elenco é limitado (Assim como o treinador), mal montado e que falta muito para atingir o nível que o próprio Clube acha que tem após o título Brasileiro da temporada anterior.

O resultado desastroso de ontem, pode parecer acidente, ou uma fatalidade, mas não é, é reflexo de um planejamento equivocado para o futebol.

Fluminense rende recorde de audiência do ano à Rede Globo, no Rio de Janeiro

Sobre Rodrigo Barros

Rodrigo Barros
Profissional de Marketing Digital, SEO e Mídias Sociais, gosta de poesia, música e filmes, é pai da Heloísa e claro, torcedor do Fluminense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*


9 × = cinquenta quatro

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Scroll To Top